Pesquisar este blog

domingo, 21 de dezembro de 2014

UMA GRANDE LIDERANÇA QUE OS CORRUPTOS E SEUS PARTIDOS QUEREM CALAR

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados instaurou, na última terça-feira (16), um processo contra o Deputado Jair Bolsonaro por quebra de decoro.

A razão foi a declaração do Deputado Bolsonaro de que “não estupraria a deputada Maria do Rosário (PT-RS) porque ela não o  merecia”.

A solicitação, para abertura do processo, partiu dos partidos PT, PSOL e PSB, visando a cassação do deputado Bolsonaro com a consequente perda de mandato.

Se há uma minoria de deputados eleitos legalmente, isto é, sem qualquer “maracutaia”, e o mais importante, legitimados pelo povo, um deles é o Deputado Bolsonaro. Obteve a maior votação entre todos os deputados eleitos pelo Estado do Rio de Janeiro graças a suas atuações nas diversas legislaturas, municipal, estadual e federal, de que participou, aprimorando-se paulatinamente e caracterizando-se pela postura combativa.


A razão verdadeira do processo é a de calar o Deputado Bolsonaro o qual, sem qualquer nódoa de caráter em seu comportamento político, tem a coragem moral de subir ao púlpito da Câmara e denunciar, com todas as letras, que este governo do PT está prenhe de ladrões. Que a Presidente tem um passado negro como guerrilheira e conduz, guiada pelo Lularápio, o País na senda do comunismo bolivariano, imposição do Foro de São Paulo. Que mostra a empulhação da famigerada “Comissão da Verdade”. Que defende, com imensa coragem, a Família brasileira, mostrando a nefanda educação imposta às nossas crianças, ensinando-lhes, na própria escola, práticas homossexuais e outras aberrações. Que mostra as mazelas da administração pública, como a inaceitável situação da Saúde e a abominável insegurança da população diante do crime organizado e de um ministro da Justiça incompetente. Que denuncia o descaso e a irresponsabilidade com que são tratadas as questões relativas às Forças Armadas e às policias militares e civis. Que acusa o governo de tratar direitos humanos, destruindo valores perenes e manipulando minorias, demagogicamente, na busca de votos e incitando o ódio entre brasileiros.

Querem, os sem ética, imorais e amorais, calar o deputado Bolsonaro, que não respeita o “politicamente correto”, postura imposta pelo socialismo marxista. 

A cada dia, o Deputado Bolsonaro, ganha a confiança do povo brasileiro, tornando-se liderança marcante de resistência à comunização do País e a coruptores e corruptos que agem, principalmente, à sombra do PT e de aliados respectivos, mola mestra de escândalos como o “mensalão” e o “petrolão”.

Por tais motivos, é o mesmo PT que encabeça a solicitação de abertura do processo contra o Deputado Bolsonaro, tendo em vista a  retirada da pedra do caminho.

Em verdade, é a deputada que deveria ser cassada por acusar, algum tempo atrás, o Deputado de estuprador, pois, este, em bom português, afirmou que a deputada “não merecia ser estuprada”. O resto é interpretação de cada cabeça.

Cassar o Deputado Bolsonaro é violentar a voz e o voto de milhares de brasileiros, é violentar a própria Democracia.

O Maquiavélico Plano do Cebolinha contra o juiz Moro?


     
Quem curte histórias em quadrinhos infantis, como as bem boladas pelo craque Maurício de Souza, sabe que nunca dão certo os malucos planos bolados pelo Cebolinha para derrotar a poderosa Mônica. Alguns gênios da base governista resolveram elaborar um complexo "Plano do Cebolinha" para tentar cavar uma chance de impunidade ampla, geral e irrestrita nos processos da Operação Lava Jato. Uma das ideias geniais consiste em convencer a Presidenta Dilma a promover o juiz federal Sérgio Moro para o cargo vitalício de semideus do Supremo Tribunal Federal, na vaga do Joaquim Barbosa.
O Cascão já mansa avisar, previamente, que este novo Plano do Cebolinha já nasceu morto e fadado ao fracasso. Moro não tem a menor vontade de sair da primeira instância - onde começa a comprovar a tese de que é o lugar mais adequado para fazer o judiciário funcionar corretamente, com sentenças exemplares, a partir de encaminhamentos processuais justos e perfeitos tecnicamente. Isto dá certo na Alemanha. Bem que podia também funcionar no Brasil.
Apelidado por seus seletos amigos como "o Homem de Gelo", o professor Moro, Doutor em Direito, não tem a menor vontade de deixar tão cedo a 13a Vara Federal em Curitiba onde correm os processos da Lava Jato que caminham para punições rigorosas de corruptos, graças ao emprego eficaz da "Transação Penal", através dos acordos de "colaboração premiada" (com réus confessos pessoas físicas) e dos "acordos de leniência" (firmados com empresas cujos dirigentes resolvem apresentar provas concretas em troca de alívio nas multas e nas penas).

Esse "Plano Infalível do Cebolinha", de tirar o Moro da Vara 13 para jogá-lo no Olimpo do STF teria um outro problema prático. Se Moro aceitar a "promoção" (o que não pretende fazer, se tal convite ocorrer), ele iria parar, justamente, na segunda turma do Supremo que irá julgar os casos de políticos enrolados na Lava Jato que têm o absurdo direito a foro privilegiado para julgamento criminal. Arquivar as denúncias do MPF contra senadores e deputados ou aceitar a abertura de ação penal contra os ilustríssimos poderosos será uma decisão dos ministros Teori Zavascki (relator), Celso de Mello, Gilmar Mendes, Cármen Lúcia e Ricardo Lewandowski. O juiz Moro não deseja a missão que cabe aos membros da segunda turma do STF.
O "Plano do Cebolinha" teve uma ajuda involuntária - até bem intencionada - da Associação dos Juízes Federais do Brasil que fez uma consulta com 362 magistrados para a indicação de três nomes indicáveis para a vaga do STF. Moro foi o mais votado, com 141 votos. O segundo colocado, com 123 votos, foi o desembargador federal Leandro Paulsen, da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). Doutor em Direito pela Universidade de Salamanca, na Espanha, atuou como juiz auxiliar do STF por duas vezes, em 2007 e de 2009 a 2011. Em terceiro ficou o também desembargador federal Fausto De Sanctis, do TRF da 3ª Região, com 134 indicações. Ele ganhou notoriedade à frente da 6ª Vara Federal Criminal em São Paulo, atuando em casos relevantes, como a Operação Satiagraha, Banco Santos, Castelo de Areia e Banespa, entre outros.
Atualmente, não há ex-magistrados federais na composição do Supremo. A Ajufe mandou a listra tríplice para a Presidência da República. Os nomes indicados pela Ajufe concorrerão com nomes indicados por outras entidades de classes e associações, como a de advogados e a do Ministério Público. A Constituição prevê como qualidades básicas para concorrer ao cargo de ministro do STF: “notável saber jurídico e reputação ilibada”. Na prática, já se viu que a coisa não rola bem assim.
O trâmite da escolha para semideus do STF leva em conta a aprovação do indicado em maioria absoluta pelo Senado Federal, e, depois, a nomeação pelo Presidente da República. Mais provável é que a Presidenta indique Luis Inácio Adams (Advogado Geral da União), favorito do quase xará Luiz Inácio da Silva. Também há o risco de o premiado ser José Eduardo Cardozo (atual ministro da Justiça, mas que não conta com o apoio do Presidentro). 
Dilma deve empurrar a decisão para o ano que vem. Certamente, Dilma já foi aconselhada pelo seu ex-marido, o advogado Carlos Araújo, a quem se atribui a "indicação" de dois membros do STF: Rosa Weber e Teori Zavascki. Enquanto o Brasil não muda o modelo de indicação para sua corte suprema, adotando uma forma mais técnica e realmente democrática, teremos de engolir qualquer nome - bom ou nem tanto...

sábado, 20 de dezembro de 2014

O MAR DE LAMA NEGRA ,Dilma alopra assessores e PT convoca militância profissional para agir se Lava Jato inviabilizar posse

Marco Aurélio Mello, ministro da primeira turma do Supremo Tribunal Federal, que não tratará da Lava Jato, comentou ontem que, como cidadão, está “muito curioso em saber o que tem dentro desse embrulho”. Todo cidadão honesto está aguardando a demorada divulgação dos nomes dos políticos em um dos maiores escândalos de corrupção do mundo. Independentemente de quem for denunciado, ou ficar providencialmente de fora, por inexplicável blindagem criminosa, o fato gravíssimo é que as maiores estatais (não só a Petrobras) ficaram a serviço de uma base partidária que rouba bilhões e destrói a reputação das empresas que deveriam ser orgulho da Nação.

O pavor no governo chegou ao ápice com o depoimento oficial ao Minstério Público Federal de uma das pessoas mais íntimas do delator premiado Paulo Roberto Costa. A geóloga Venina Velosa Fonseca causou pânico com a entrega de um computador repleto de provas sobre os escândalos na Petrobras. A tensão é tanta que Dilma Rousseff deu ordens para que seus assessores mais próximos não se afastem da capital federal. No Palácio do Planalto, circulam informes seguros de que os nomes da Presidenta e do ex-Presidente Lula da Silva podem ser seriamente envolvidos na Lava Jato. Além disso, o medo real de ocorrer algum incidente grave que impeça a posse levou o acuado PT a fretar mais de dois mil ônibus para levar militantes profissionais até Brasília.
A divulgação pelo Estadão de uma lista de 28 nomes de políticos citados por Paulo Roberto Costa causou um rebuceteio no Governo do Crime Organizado. Como de costume, todos os listados reagiram com indignação e negaram qualquer envolvimento nas falcatruas entre a Petrobras e empreiteiras. As negativas, no entanto, podem valer de nada, na hora que forem apresentadas provas de verdade. Mesmo trabalhando durante o recesso forense, em janeiro, a força tarefa da Procuradoria Geral de República que cuida da Lava Jato só deverá apresentar os pedidos de inquérito a partir de fevereiro, quando os ministros do STF voltam ao trabalho e parlamentares tomam posse - e muitos outros deputados e senadores indiciáveis, sem mandato eletivo, perdem o direito ao absurdo foro privilegiado. Como o suspense deve durar mais de um mês, este é o tempo com que os bandidos contam para costurar sua impunidade.
O procedimento judicial será simples. As denúncias contra pessoas sem foro privilegiado serão enviadas para a primeira instância da Justiça Federal. Os processos que envolvem governadores ainda no cargo vão para o Superior Tribunal de Justiça (STJ). A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal vai receber as denúncias contra deputados e senadores com cargo eletivo. Arquivar o caso ou aceitar a abertura de ação penal será uma decisão dos ministros Teori Zavascki (relator), Celso de Mello, Gilmar Mendes, Cármen Lúcia e Ricardo Lewandowski. Falta um supremo magistrado, ainda a ser indicado por Dilma para a vaga aberta pela aposentadoria forçada de Joaquim Barbosa, para completar o time que julgará a Lava Jato.
Foi esta mesma segunda turma do STF quem decidiu, nesta semana que acaba, de forma unânime, que foram ilegais as provas obtidas na sede do Banco Opportunity contra o empresário Daniel Valente Dantas, investigado pelas operações Satiagraha e Chacal, da Polícia Federal. Ainda cabe recurso, mas dificilmente o habeas corpus será derrubado. A defesa de Dantas, que responde por crimes financeiros, alegou que dados de um disco rígido da instituição financeira foram copiados sem ordem judicial específica. A decisão confirma que, no STF, tudo pode acontecer.
Nos bastidores dos podres poderes da federação de mentirinha, uma tese se consolida: pela quantidade de provas materiais legalmente geradas pela transação penal, nas colaborações premiadas de indiciados e nos acordos de leniência firmados por empresas, será praticamente impossível que não se chegue à verdadeira cúpula de chefões da Lava Jato, envolvendo nomes dos mais altos escalões da republiqueta de Bruzundanga. Na avaliação de políticos, magistrados, procuradores e lobistas é apenas uma questão de tempo para se atingir o núcleo duro da organização criminosa. Quando isto acontecer, o que virá depois só deus sabe...

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

EXCLUSIVO A LISTA COM OS NOMES DE CORRUPTOS :Ex-diretor citou em delação 28 políticos beneficiários de esquema na Petrobrás,Paulo Roberto Costa relata em 80 depoimentos relação que inclui ministro e ex-ministros da gestão Dilma Rousseff, governador, ex-governadores e parlamentares; são, ao todo, 10 nomes do PP, 8 do PT, 8 do PMDB, 1 do PSB e 1 do PSDB


delacao-costa

Primeiro delator da Lava Jato, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa citou em 80 depoimentos que se estenderam por duas semanas, entre agosto e setembro, uma lista de 28 políticos – que inclui ministro e ex-ministros do governo Dilma Rousseff (PT), deputados, senadores, governador e ex-governadores.
O Estado obteve a lista completa dos citados. A relação inclui ainda parlamentares que integram a base aliada do Palácio do Planalto no Congresso como supostos beneficiários do esquema de corrupção e caixa 2 que se instalou na petrolífera entre 2004 e 2012.
Há nomes que até aqui ainda não haviam sido revelados, como o governador do Acre, Tião Viana (PT), reeleito em 2014, além dos deputados Vander Luiz dos Santos Loubet (PT-MS), Alexandre José dos Santos (PMDB-RJ), Luiz Fernando Faria (PP-MG) e José Otávio Germano (PP-RS). Entre os congressistas, ao todo foram mencionados sete senadores e onze deputados federais.
O perfil da lista reflete o consórcio partidário que mantinha Costa no cargo e contratos bilionários da estatal sob sua tutela – são 8 políticos do PMDB, 10 do PP, 8 do PT, 1 do PSB e 1 do PSDB. Alguns, segundo o ex-diretor de Abastecimento, recebiam repasses com frequência ou valores que chegaram a superar R$ 1 milhão – dinheiro que teria sido usado em campanhas eleitorais. Outros receberam esporadicamente – caso, segundo ele, do ex-senador Sérgio Guerra, que foi presidente nacional do PSDB e em 2009 teria pedido R$ 10 milhões para arquivar uma CPI da Petrobrás no Senado.
Sobre vários políticos, o ex-diretor da estatal apenas mencionou o nome. Não revelou valores que teriam sido distribuídos a eles ou a suas agremiações.
Foram citados os ex-governadores do Rio Sérgio Cabral (PMDB), do Maranhão Roseana Sarney (PMDB) e de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) – que morreu em um acidente aéreo em 13 de agosto, durante campanha presidencial.
Primeiro escalão. A lista inclui também o ex-ministro Antonio Palocci (PT), que ocupou a Esplanada nos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma; os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), o atual ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, e ex-ministros Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Mário Negromonte (Cidades).
Os 28 nomes são exclusivamente de políticos que teriam sido beneficiários dos negócios da diretoria de Costa. A Polícia Federal e a Procuradoria da República trabalham com outros nomes de políticos que se relacionavam com os ex-diretores da estatal Renato Duque (Serviços) e Internacional (Nestor Cerveró).
As revelações foram feitas em depoimentos prestados por Costa à força tarefa da Lava Jato e fazem parte do acordo de delação premiada firmado pelo ex-diretor com o Ministério Público Federal em troca de redução da pena. Desde que sua delação foi aceita pelo Supremo Tribunal Federal, ele cumpre prisão em regime domiciliar, no Rio.
Alguns nomes dessa lista também aparecem na relação fornecida pelo doleiro Alberto Youssef, que firmou acordo semelhante – ainda não homologado pelo ministro Teori Zavascki, do STF. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve denunciar os envolvidos no esquema de desvios da estatal em fevereiro, quando tem início a nova legislatura (mais informações no texto abaixo).
A delação do ex-diretor da Petrobrás, já homologada pelo Supremo, estava com Janot desde novembro. Ele aguarda o teor do depoimento de Youssef para cruzar os nomes citados, o que deverá ser realizado até o início da próxima legislatura.
Foro. Na troca da composição do Congresso, alguns dos citados perdem foro privilegiado e passam a ser julgados pela Justiça de primeira instância. Por decisão do ministro Teori Zavascki, as investigações permanecem divididas entre a Suprema Corte e a Justiça Federal no Paraná, onde serão investigados os acusados que não têm mandato.
A lista de 28 nomes foi revelada por Costa exclusivamente no âmbito da delação premiada. Como são citados políticos com foro privilegiado, o caso foi parar no STF. Em depoimentos à primeira instância da Justiça Federal, o ex-diretor da Petrobrás não falou de políticos, mas citou que o PP, o PMDB e o PT recebiam de 1% a 3% sobre o valor dos contratos da estatal para abastecer caixa de campanha.
A investigação desvendou uma trama de repasses a políticos na estatal. A Lava Jato foi desencadeada em março e identificou a parceria de Costa com o doleiro Youssef. Na última fase da operação, deflagrada em 14 de novembro, foram presos os principais executivos e dirigentes das maiores empreiteiras do País, todos réus em ações penais por corrupção ativa, lavagem de dinheiro, crimes de cartel e fraudes a licitações. /

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

A DAMA DE FERRO DA BAIXADA DRª JULIANA AMORIM DELEGADA DA 53ª MESQUITA , FOI HOMENAGEADA ONTEM COM UMA MOÇÃO CONCEDIDA PELA ALERJ E INDICADA PELO DEPUTADO ESTADUAL ANDRÉ CECILIANO

Ontem a noite  na sede da COMCAUSA ,Estive presente em uma noite de homenagem de titulos e moção ,sendo a principal homenageada a delegada titular da 53ª MESQUITA drªJuliana Amorim que recebeu a moção da ALERJ pelos serviços prestados ao cidadãos do  estado do RJ ,moção está mais do que muito bem entregue pela vasta gama de serviços prestados pelo drª Juliana uma cidadã genuinamente iguaçuana ,A drª Juliana de Amorim que está deixando o comando da 53ª Mesquita e assumindo a 59ª Duque de Caxias ,só para bem lembra que a drª juliana ganhou recentemente um premio  ficou em primeiro lugar em toda a america ,ganhou titulos de cidadanias iguaçuana e mesquitense , também na mesma noite foi homenageados a COMCAUSA com um titulo da ALERJ e o deputado estadual André Ceciliano com a medalha cidade de Duque de Caxias concedida pela Camara de Vereadores de Duque de Caxias e indicada pelo vereador MOA do PT , compareceram ao evento vereadores de 5 municipios entre eles o municipio de Mesquita representado pela minha amiga e guerreira Cris Gemea e tambem o presidente municipal do PT em NI Geraldo BASTOS  ,a drªJuliana Amorim e a todos os homenageados e a COMCAUSA que foi a organizadora do evento parabéns ,,,

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Só sujeiras E-mails oficiais de Venina derrubam tese do governo sobre ignorância de Graça na corrupção da Petrobras

A Petrobras não tem como contestar a veracidade dos e-mais enviados à Maria das Graças Foster pela geóloga Venina Velosa da Fonseca denunciando o megaesquema de corrupção na estatal de economia mista. Assim, torna-se infrutífero e ridículo o esforço do governo em insistir na velha tese da "apedêutica ignorância" (ninguém sabia de nada, mas deveria ser obrigado a saber) para tentar salvar a insustentável cabeça de Graça e demais diretores da petrolífera prestes a ter sua nota de risco rebaixada, o que lhe cortará o crédito para rolagem da gigantesca dívida e impedirá que seus papéis sejam negociados no exterior.
A tática do governo é tão burra que forçou a Comissão de Valores Mobiliários a pelo menos tentar mostrar ao mercado que não é uma mera autarquia do Ministério da Fazenda do mesmo governo da União que controla a Petrobras - e que, por infeliz coincidência, também tem o ministro Guido Mantega acumulando o rico jeton de Presidente do Conselho de Administração da petrolífera. Sem entrar no mérito deste descarado conflito de interesses - que já irrita investidores internacionais e será questionado nos tribunais dos EUA -, a CVM exigiu que a Petrobras cumprisse o ritual de soltar um comunicado ao marcado para tentar vender a versão impossível de que Graça não fora oficialmente informada sobre os indícios do "Petrolão".

A Presidenta Dilma Rousseff, que será diplomada amanhã pelo TSE para seu segundo mandato previsivelmente turbulento e com risco de começar mal e acabar péssimo, faz das tripas coração para manter a amiga Graça na Presidência da Petrobras. Dilma simplesmente não tem um nome de sua confiança pessoal para colocar no cargo. Ela não quer que a jóia da coroa volte a ser colocada na cabeça dos petistas que lhe fazem oposição intestina. Só muito a contragosto, Dilma trocaria Graça por Luciano Coutinho - o que também seria uma operação suicida. O presidente do BNDES, que também faz parte do Conselhão da Petrobras, é o perito financeiro designado para responder pela estatal junto à Bolsa de Nova York - justamente onde investidores processam a petrolífera tupiniquim.

Por tudo isto, a quixotesca manobra do governo para salvar Graça tem tudo para se transformar em uma piada absolutamente sem graça. Torna-se insustentável a mentirinha de que Graça só soube das denúncias de Venina no e-mail enviado em 20 de novembro deste ano - conforme comunicado oficial da Petrobras ao mercado. O mesmo argumento falso para defender Graça foi usado pelo seu "cunhado", o vice-presidente da República. Michel Temer é maçom diretamente ligado à Grande Loja Unida da Inglaterra, da qual o marido de Graça, Colin Vaugn Foster, é o dirigente máximo para a América Latina. Na Maçonaria, as esposas dos irmãos são chamadas de "cunhadas". Apenas por coincidência do Grande Empreiteiro do Universo, outro que tentou defender Graça não é maçom, mas é "Lowton" (parente de maçons oficialmente reconhecido pela Ordem): José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça.

Intrigas maçônicas à parte, os e-mails de Venina lançam luzes sobre as trevas do Petrolão. As mensagens via internet revelam que Graça foi informada pela primeira vez sobre os problemas na Petrobras exatamente às 3h50 do dia 3 de abril de 2009. Pelo correio corporativo reservado da empresa, Venina pediu ajuda a Graça para concluir um texto em que descrevia irregularidades. Naquele momento, Graça era diretora de Gás e Energia e Venina, gerente executiva da Diretoria de Abastecimento. O texto era claro: "Gostaria de ter uma opinião sua sobre um texto final que preciso encaminhar. Posso deixar para você ler? Você sabe qual é o assunto. Fique à vontade se você achar melhor não ler. Aguardo sua resposta para deixar ou não o material com a sua secretária."


Graça fica em desgraça por causa de revelações de Venina ao jornal Valor Econômico. No mesmo 3 de abril de 2009, há um "Documento Interno do Sistema Petrobras", chamado de DIP, em que Venina concluiu pela ocorrência de "irregularidades administrativas" na área de comunicação do Abastecimento. A geóloga se referiu era uma auditoria presidida por ela para desbaratar um esquema 
que desviou milhões de reais da estatal.

O Valor informa: "O esquema beneficiou integrantes do PT da Bahia - o mesmo grupo político do então presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. Venina escreveu para Graça na madrugada, pouco antes de concluir o DIP em que pediu a demissão de Geovanne de Morais. Ela procurou Graça para obter ajuda. Sozinho, o militante petista Geovanne pagou quase R$ 38 milhões a serviços não realizados na área de comunicação. O desvio foi maior do que isso: R$ 58 milhões em contratos, cujos serviços não foram prestados. Foram identificadas também notas fiscais com o mesmo número, totalizando R$ 44 milhões na área de comunicação". 

No texto mandado para Graça, Venina pediu que Geovanne fosse retirado imediatamente da empresa e apresentou um parecer jurídico para tanto. "A demissão deve ser implementada ainda que esteja o empregado gozando de auxílio doença, visto o risco representado pela manutenção de seu vínculo empregatício para a continuação das averiguações". Na nota oficial divulgada ontem, a Petrobras ialegou que Geovanne não foi demitido, em 2009, porque "seu contrato de trabalho estava suspenso, em virtude de afastamento por licença médica". A demissão dele só foi efetivada muito tardiamente, quatro anos depois, em 2013.
O Valor informa que Geovanne foi mantido nos quadros da estatal por pressões internas feitas por Paulo Roberto Costa, então diretor de Abastecimento. A desculpa esfarrapada de Costa para que Geovanne ficasse foi a mesma utilizada na nota divulgada ontem pela Petrobras: a de que ele estava em licença médica. "Paulinho" (como Lula chamada o então poderoso homem da Petrobras) agora é um "colaborador premiado" da Operação Lava Jato. Ele ainda tem muito a revelar, quando for obrigado a falar ao Supremo Tribunal Federal, na hora do juízo semifinal, quando os políticos com absurdo foro privilegiado forem denunciados.
Venina escreveu a Graça: "O que aconteceu dentro do ABAST (Diretoria de Abastecimento) na área de comunicação e obras foi um verdadeiro absurdo. Infelizmente, eu não sou sozinha, não posso me aventurar aqui fora. Se pudesse, pode ter certeza que é o que eu faria. Porém, se não posso lutar aqui fora, vou para o Brasil para brigar pelos meus direitos. Eu não fiz nada errado. Não vou aceitar ser penalizada pelo que não fiz. Não vou, de forma alguma, aceitar isto! Se eu não consigo dialogar dentro do ABAST não tenho outra alternativa a não ser procurar outros meios, mas eu não gostaria de fazer isto sem antes conversar com você."
Venina deixou claro que parte da documentação que possui sobre irregularidades já era de conhecimento de Graça. "Existem alternativas que eu estou avaliando apesar do receio de trazerem risco para mim e para minhas filhas. Gostaria de te apresentar parte da documentação que tenho, parte dela eu sei que você já conhece. Gostaria de te ouvir antes de dar o próximo passo. Não quero te passar nada sem receber um sinal positivo da sua parte. Mesmo que você se recuse a se envolver nisto, vou continuar te admirando pela mulher corajosa, firme e respeitada que você é e que chegou aonde chegou sem ter que abrir mão dos valores que tem. Minha admiração e respeito por você vai além desse problema que estou te apresentando. Me desculpe por tomar seu tempo, tentei ser breve mas a emoção não permitiu."
O Valor lembra que, cinco meses após essa mensagem, Graça se tornou presidente da Petrobras. Venina foi trazida de volta para o Rio, onde lhe deram uma sala, mas lhe pediram que não fizesse nenhum trabalho. Sem alternativas, ela volta para Cingapura, onde abre investigação contra um novo esquema de desvio de dinheiro, agora, envolvendo negociadores de combustível de navios, chamados de bunkers. Em 19 de novembro, Venina foi comunicada que seria afastada de suas funções. Um dia depois, escreveu novamente a Graça:
"Hoje, fui surpreendida com um telefonema do gerente executivo, informando que eu estava sendo destituída. Novamente, agora em Cingapura, me deparei com outros problemas, tais como processos envolvendo a área de bunker e perdas, e mais uma vez agi em favor da empresa, tentando evitar atos contra os interesses dela. Não chegaram ao meu conhecimento as ações tomadas no segundo exemplo citado, dando a entender que houve omissão daqueles que foram informados e poderiam agir", lamentou. "Não posso aceitar mais este sofrimento e esta injustiça. Sinto, mas terei de usar todas as ferramentas disponíveis para minha defesa."
Por causa dessas provas, Graça tem tudo para cair em desgraça política. Embora informada sobre todos os problemas, certamente sabendo dos desvios que aconteceram na estatal, ela mentiu à CPI Mista da Petrobras, em 11 de junho. Graça alegou que não sabia de irregularidades na companhia, mas apenas de suspeitas. A cabeça dela será pedida hoje pela oposição.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

CAFÉ COMUNITÁRIO DO 2O] BATALHÃO DE POLICIA MILITAR DO RJ



Hoje as o9:oo da manhã ocorreu mais um café comunitário do 2oº batalhão de policia militar ,onde foi conhecido o novo comandante  tenente-coronel Marcus Vinicius dos Santos Amaral ,estive presente como membro do CONSEG [conselho municipal de segurança publica direitos humanos e cidadania de Nova Iguaçu , e fazendo parte da mesa ,em minha fala dei as boas vindas ao novo comandante já dizendo que a missão séra muito arduar pois a comparação do antigo e novo batalhão que o novo comandante assumiu é gigantesco pois enquanto 23º do Leblon o comandante tinha lá 1 policial militar para menos de 18o habitantes no 2oº ele tera 1 para mais de 1.6oo habitantes  ,repudiei mais uma vez a troca do comandante da unidade e seus oficiais , tambem repudiei as ações do assassino de varias vidas iguaçuanas o tal do Sailson que confessou mais de 4 mortos e confirmadas até agora 7 mortes , também mostrei o meu total apoio a caminhada do ultimo domingo no posto 6 organizado pelas guerreiras Flavia Louzada e Roberta Trindade ,tive a oportunidade de falar sobre os atrasos das instalações das cameras de videomonitoramento de Nova Iguaçu o novo comandante disse que se empenhara junto as autoridades para que as mesmas sejam implementadas o mais rápido possível em Nova Iguaçu , e que também buscarar mais efetivo para o 2o btl,pm,vamos 


está sempre na luta ,

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

GOVERNO DILMA E DO PT ESTÁ SENDO O MAIS CORRUPTO DE TODOS OS TEMPOS

Dilma Rousseff, que ontem comemorou suas 67 primaveras com a família em Porto Alegre e voltou de tarde ao estresse de Brasília, precisa tomar decisões urgentes para assumir o segundo mandato sem o alto risco de ser derrubada. Para se tornar Presidente de verdade (e não presidenta ou presidanta) terá de resolver o dilema: ou comprova competência para governar conforme sua própria vontade ou admite que é incompetente por sua ignorância acerca de tanta corrupção próxima dela.

Dilma decretará a própria morte política, se não proclamar sua independência em relação ao criador Lula e ao PT. Dilma será diplomada para seu segundo mandato no próximo dia 18 pelo Tribunal Superior Eleitoral. Dali em diante, passado o Natal, terá de divulgar logo a escalação do novo-velho ministério. É vergonhosa a situação de indefinição sobre quem vai ser ou não indiciado pela Lava Jato. Ou Dilma passa a enxergar o jogo vários lances adiante, como em um jogo de Xadrez, ou corre risco de terminar, conivente com a corrupção que a cerca, candidata ao xadrez...

Na situação atual, Dilma está com a governabilidade em frangalhos. Até agora, apesar dos arroubos de velha guerrilheira, se comporta como refém do regime petista. A cúpula do PT faz questão de tratá-la falsamente. Para o público externo, Dilma é maravilhosa. Nos intestinos partidários, Dilma é alguém a ser expelida na hora que for conveniente. A nazocomunopetralhada faz a contagem regressiva para o milagroso retorno triunfal de Lula da Silva no distantíssimo 2018... Neste cenário de clausura, só Dilma pode se libertar, se sua coragem for real e o apelido de "Coração Valente" não tiver sido uma mera marketagem reeleitoreira.


O tempo ruge contra ela. A primeira decisão urgentíssima de Dilma (para anteontem) é sobre a Petrobras. Mesmo a contragosto, terá de sacrificar a diretoria, incluindo a amiga Maria das Graças Foster. O tsunami Venina envenenou a cúpula da empresa. Documentos comprovam que todos sabiam de tudo errado que acontecia por lá. Inclusive, a Presidenta da República. Sua característica centralizadora impede que não tenha pleno conhecimento do que acontece na estatal de economia mista da qual foi "presidente" do Conselho de Administração, e na qual a União é a acionista controladora.

Dilma precisa agir correndo. Se perder o timming, e não usar sua canetinha de condão do Diário Oficial, perderá o encanto. Fatalmente, tem tudo para acabar processada nos Estados Unidos. Destino trágico igual ao da amiga Graça, em situação muito além da desgraça. Em Nova York, já processam a empresa sete escritórios: Bronstein, Gewirtz & Grossman, Wolf Popper, Rosen Law Firm, Pomerantz Law Firm, Brower Piven, Khan Swick & Foti (KSF) e Glancy Binkow & Goldberg. Todos alegam que a Petrobras enganou os investidores ao emitir material falso e não revelar o “esquema interno multibilionário de corrupção e lavagem de dinheiro” que afeta a companhia desde 2006.

Dilma se vê forçada a substituir o comando da petrolífera, antes que o mercado cumpra a ameaça de fazer as ações ON e PN da Petrobras despencarem dos horríveis R$ 10 para apavorantes R$ 5 na BM&FBovespa. Pela cotação de sexta-feira passada, o valor de mercado da Petrobras era de R$ 127,04 bilhões. O pessimismo indica que pode se desvalorizar mais que os 45% acumulados desde setembro, quando valia R$ 229,72 bilhões. A primeira opção de Dilma é que Luciano Coutinho (que já é conselheiro de administração da Petrobras) troque o BNDES pela cadeira de Graça. Outro nome especulado é o de Henrique Meirelles, mas ele dificilmente deixará a holding da JBS-Friboi par entrar nesta desgastante furada.

A situação da Petrobras é melodramática. O que o mercado pode pensar de uma companhia, vendida em prosa e verso somo orgulho do povo brasileiro, que tem nada menos que 8.298 funcionários de saco cheio, aderindo a um Plano de Incentivo à Demissão Voluntária? A coisa é tão feia que um dos demissionários é um dos homens de confiança da Graça Foster, responsável pelo coração da empresa, a diretoria de Exploração & Produção. O gerente executivo do E&P Pré-sal, engenheiro Carlos Tadeu Fraga, pediu para sair...

Aliás, além dos escândalos bilionários de corrupção envolvendo a estatal e as maiores empreiteiras do Brasil, a conjuntura mundial também joga contra a Petrobras. A queda no preço do barril de petróleo - que pode ser boa para e economia brasileira - torna inviável a exploração econômica do pré-sal - que Lula da Silva marketou, irresponsavelmente, como a "arábia saudita brasileira". Este negócio não é economicamente lucrativo com a cotação do ouro negro abaixo de US$ 70. Suhail al-Mazrouei, ministro de Energia dos Emirados Árabes Unidos, falando em nome da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), já adverte que os preços da commodity podem cair para até US$ 40 o barril.

Para piorar o caos, a não divulgação do balanço trimestral da Petrobras alimenta a desconfiança do mercado. Se a diretoria da Petrobras não for trocada rapidamente, numa prova de que o governo pretende dar uma guinada na gestão da empresa, a tendência é desvalorização. Neste cenário, quem corre risco é a União. Os mega investidores estão prontos para adquirir ações ON da estatal na bacia das almas, a preço de banana. O golpe seguinte é comprar a dívida da empresa para forçar o governo a abrir mão do controle acionário. Se uma mudança radical não ocorrer, Dilma entrará para a História como a Presidanta que privatizou a Petrobrás...


Dilma tem muitos problemas e só uma solução. Romper com seu passado de equívocos. Precisa mudar, viver o momento presente e vislumbrar o futuro. Infelizmente, a mudança é complicada e complexa. Além de ser refém do esquema PT-PMDB, Dilma é prisioneira de suas próprias convicções ideológicas. Seu DNA é autoritário, com foco centralista. Sua visão é Capimunista, focada no Estatismo supostamente desenvolvimentista. Pratica as ideias fora do lugar do Foro de São Paulo por pragmatismo. Dilma é essencialmente uma brizolista.  

Como boa caudilha, Dilma foi formada para guerrear. Na luta armada, aprendeu a ser estrategista de guerra - e não uma negociadora pacífica. Tem nervos de aço e sangue frio para agir e obter o que deseja. Ela prefere conseguir tudo na base do grito. Comporta-se como um general sem farda, mas sem tropa. Prefere se movimentar em cúpulas e grupos muito fechados, quase panelinhas. Com estes pouquíssimos "amigos" consegue ser amável. Com os outros joga pesado. Impõe sua vontade, sem se importar em desagradar.

Fora do restrito círculo íntimo, Dilma age como uma doberman. Além de agressiva é revanchista e reacionária. Desconfia de quase todos. Como tem poucos amigos - aos quais parece ser fiel - tende ao isolamento político. Tem compromisso consigo mesma e com o projeto esquerdista no qual acredita. Dilma é daquelas mulheres que ama ter poder. Dinheiro para ela é secundário. Só um homem faz a cabeça dela: o ex-marido Carlos Araújo. Ele a aconselha em decisões cruciais. Deve ter cumprido o papel neste final de semana de aniversário, quando até as mais duronas almas ficam sensíveis.

Só Dilma tem a chance de se libertar. A tendência é não seguir tal conselho. Mas tem poder para isto. A canetinha mágica do Diário Oficial tem poderes inimagináveis em uma republiqueta imperial. A vontade da rainha depende muito dela mesma. Se jogar direitinho o Xadrez do poder, vira o jogo. Se não virar, rompendo agora com o Cartel Tupiniquim, vai acabar no xadrez, afundando junto com o PTitanic.

Dilma tem um problemaço. Embora seja comandanta em chefa das forças armadas, os militares a odeiam. Se houver um movimento para derrubá-la, os milicos podem não aderir ao golpe. No entanto, farão um mínimo esforço para salvá-la. Sem o poder fardado, Dilma fica fadada a ser derrubada, se persistir na rota equivocada de fazer mais um mandado apenas para devolver a varinha de condão do DO para Luiz Inácio Lula da Silva - aquele que cultiva a ilusão de ter sido seu criador e suposto adestrador.

A Criatura tem poucos dias, até o final do ano e a posse no novo mandato para se mexer e blindar na casa certa. Se errar no Xadrez, terminará no xadrez - mais conhecido como xilindrô de Palácios como o da Papuda... O tempo ruge contra Dilma... Se não trair o PT, pode terminar "justiçada" por ele...

domingo, 14 de dezembro de 2014

A VIDA DO POLICIAL É SAGRADA COMO TODA VIDA É , ESTIVE PRESENTE NESTE GRANDE EVENTO ORGANIZADO PELAS GUERREIRAS FLAVIA LOUZADA E ROBERTA TRINDADE , FUI EM APOIO A TODOS OS POLICIAIS QUE ESTÃO SENDO MORTOS OU FERIDOS

Hoje as o9:oo da manhã em frente o posto 6 em Copacabana ,aconteceu a caminhada em apoio aos policiais feridos e as familias dos policiais mortos , o evento foi muito importante para que as nossas autoridades comecem a se desperta sobre o que está acontecendo com os policiais especialmente no RJ  ,onde dezenas perderam suas vidas ou ficaram feridos muitos ficaram mutilados ,o próximo evento já tem data sera no 
DIA 19/12/2014 MANIFESTO "BASTA!"AV. PRESIDENTE VARGAS.PONTO DE ENCONTRO: ENFRENTE O PRÉDIO DA PREFEITURA ÀS 15:00 COM DESTINO A CINELÂNDIA. quero desde já parabenizar as guerreiras Flávia Louzada e a Roberta Trindade Pelo evento de hoje e as milhares de pessoas que lá estiveram e as que estavam na praia e apoiaram o evento e bateram palmas para o BASTA dos policiais e seus familiares e amigos ,,,

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

RESUMO ESTATÍSTICO DA LAMBANÇA PETISTA CUJO AUTOR O BARBA CONTINUA A MANIPULAR SUA MARIONETE

NESTE MAR DE LAMA, OS R$ 53.573.000,00 JÁ DESCOBERTOS, ESTÃO RATEADOS ENTRE OS PARTIDOS ABAIXO ELENCADOS E OS RESPECTIVOS VALORE SURRUPIADOS DA PETROBRAS NAS LICITAÇÕES SUPERFATURADAS.

01 PT                36.111.000,00
02 PP                4.893.000,00
03 PMDB         2.665.000,00
04 DEM            2.106.000,00
05 PSDB          2.060.000,00
06 PSD              1.025.000,00
07 PTB                  960.000,00
08 PCdoB            910.000,00
09 PR                    740.000,00
10 PPS                  630.000,00
11 SD                      563.000,00
12 PROS                530.000,00
13 PSB                    155.000,00
14 PRB                   100.000,00
15 PSC                       75.000,00
16 PDT                     50.000,00

OS ESTADOS ORIGEM DOS POLITICOS MAIS CORRUPTOS NO ESQUEMA CONTRA A ESTATAL

01 RS            25.917.000,00
02 SP             6.923.000,00
03 RJ             4.378.000,00
04 CE             2.980.000,00
05 SC              2.525.000,00
06 BA             2.225.000,00
07 MG            1.670.000,00
08 PE             1.255.000,00
09 AM           1.100.000,00
10 RR            1.050.000,00
12 MS               690.000,00
13 TO               600.000,00
14 GO               590.000,00
15 AL                400.000,00
16 PI                 300.000,00
17 ES                 235.000,00
18 RN               210.000,00
20 PA               200.000,00
21 PB                125.000,00
22 AP                 7.0000,00
23 DF                 5.0000,00
24 MA                5.0000,00
25 MT                2.0000,00
26 PR                 1.0000,00

OS TREZE CORRUPTOS QUE MAIS SE APROVEITARAM NOS  SUPERFATURAMENTOS CONTRA A PETROBRAS CONTRA O PAÍS E CONTRA VOCÊ

PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF       PT RS                25.000.000,00

SENADORA GLEISE HOFFMANN      PT SC                    2.420.000,00

SENADOR LINDEMBERG FARIA       PT RJ                    2.300.000,00

SENADOR HUMBERTO COSTA           PT BA                   1.530.000,00

DEP FED ANGELA PORTELA               PP RR                   1.000.000,00

SENADOR EUNICIO OLIVEIRA          PMDB CE             1.000.000,00

SENADOR JOSÉ PIMENTEL                 PT CE                    1.000.000,00

SENADORA ALINE CORREIA              PP SP                         863.000,00

DEP FED CANDIDO VACAREJA         PT SP                          675.000,00

DEP FED EDUARDO CUNHA               PMDB RJ                 500.000,00

DEP FED NELSON MEURER                PP SP                        500.000,00

DEP FED ROBERTO TEIXEIRA          PP PE                         500.000,00

DEP FED VANESSA GRAZZIOTIM    PCdoB AM               500.000,00

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Mais um batalhão de fornteira do Exército Brasileiro será desativado na fronteira Brasil/Bolívia